GLOSSÁRIO BÁSICO DE INVESTIMENTOS

Ações: Ações são títulos que representam uma pequena parcela de participação na sociedade de uma empresa. Assim, ao comprar uma ação, o investidor se torna sócio dessa empresa, participa da distribuição de lucros e de sua valorização. Saiba mais sobre ações.

Alavancagem: É basicamente a utilização de recursos de terceiros para aumentar as possibilidades de lucro. O investidor conta com um limite de crédito em sua corretora que permite movimentar valores superiores ao que ele possui em caixa na Bolsa de Valores.

ANBIMA: Associação Brasileira das Entidades do Mercado Financeiros e de Capitais, representa as instituições que atuam nestes mercados.

BDR’s: BDRs ou Brazilian Depositary Receipts, são títulos ou ações emitidos no Brasil com lastro em valores mobiliários emitidos no Exterior, divididos em dois tipos: Patrocinados e Não Patrocinados.

Benchmark: É uma referência de mercado no qual os produtos se baseiam como base para seus resultados. Por exemplo: ao falar que a rentabilidade de um produto é 100% do CDI, quer dizer que estamos usando o CDI como benchmark.

B3: É a Bolsa de valores do Brasil e a responsável pelo sistema de negociação, liquidação e custódia de títulos financeiros.

CDB: Ao aplicar em um CDB, você faz um empréstimo a um banco que utiliza este dinheiro para financiar operações. Assim, seu rendimento consiste em juros que variam de acordo com o tempo e com a quantia que você aplicar.

CDI: Certificado de Depósito Interbancário,é uma taxa especial de juros que os bancos usam quando emprestam dinheiro entre si. Saiba a diferença de CDI para Taxa Selic.

Clubes de Investimento: Os Clubes são veículos de investimento coletivo com no mínimo 3 e no máximo 50 participantes, para aplicação preponderante (67%) em títulos e valores mobiliários que podem ser ações ou derivativos. Assim como nos fundos, patrimônio é dividido em cotas, portanto seus investidores, ao aplicar dinheiro, se tornam cotistas. O retorno de um clube depende da valorização dos ativos que compõe sua carteira. É importante ressaltar que estes ativos podem tanto valorizar como desvalorizar, pois eles dependem das oscilações do mercado.

COE: Certificado de Operações Estruturadas, COE, é um tipo de investimento diversificado, que da diferentes remunerações em um único contrato, mesclando renda fixa e variável e estabelecendo um cenário de ganhos e perdas de acordo com o perfil.  Veja os 9 passos para entender o COE.

Contratos Futuros: Em contratos futuros você investe apostando na alta ou na queda do índice Ibovespa, dólar ou commodities. Cada contrato tem um lote mínimo e um prazo de vencimento determinado por uma data futura. Diferentemente de uma ação que se paga o valor inteiro, no mercado futuro se “paga” apenas pelas perdas ou ganhos, podendo assim obter retornos muito maiores.

CRA: Quem investe em CRA, certificado de recebíveis do agronegócio, está comprando um produto que financia e é remunerado por financiamentos e empréstimos no setor agrícola. Imagine que esse produto está apoiando produtores rurais, cooperativas e terceiros quando precisam comprar máquinas, melhorar seus processos, estruturar sua distribuição e suas vendas.

CRI: Quem investe em CRI, certificado de recebível imobiliário, está comprando um produto que financia e é remunerado por financiamentos e empréstimos no setor imobiliário.

Day Trade: O Day Trade é uma operação de curto prazo que consiste na compra e venda de uma ação no mesmo dia e tem como objetivo obter lucro ao longo do dia de uma forma rápida e dinâmica.

Debêntures: Quando você compra uma debênture, está comprando um título de renda fixa de uma companhia privada, o que significa dizer que você está emprestando dinheiro à ela e se tornando um credor. E esse é um dos principais atrativos dessa aplicação, já que você pode ter o título de uma empresa sólida, com poucas chances de quebrar e rentabilidade melhor do que a de um título público. Você também pode aprender, em menos de 2 minutos, o que são debêntures.

Declaração Imposto de renda: é a declaração anual que comprova a renda de cada cidadão. Esta declaração é obrigatória para todos que possuem rendimento maior do que o valor mínimo definido pelo governo.

Empréstimo de ativos – BTC: Empréstimo de ativos, BTC, equivale a emprestar um ativo (cliente doador) para outro investidor (cliente tomador), que tem a intenção de utilizar estes ativos para realizar operações vendidas. O empréstimo consiste em contratos registrados voluntariamente pelas partes envolvidas a uma taxa prefixada na data da operação, que é paga pelo investidor tomador, em um determinado vencimento. No dia seguinte (D+1) do vencimento deste contrato, o investidor (cliente tomador) paga a taxa que foi acordada, acrescido dos tributos cobrados pela BM&FBovespa. É importante ressaltar que nessa operação não há custo para o cliente doador dos ativos.

ETF’s: O ETF ou Exchange Traded Fund é um fundo de investimento que é negociado em bolsa como uma ação. Mais conhecidos no Brasil como fundos de índices, buscam retornos de investimento que correspondam, de forma geral, ao desempenho de um determinado índice de referência. Como um fundo, ao comprar uma cota, o investidor está adquirindo uma parcela de ações de um determinado índice, permitindo acesso a mercados mais amplos, sem a necessidade e o custo de comprar cada ativo individualmente. Assim, se tornam atrativos pela variedade e baixo custo. Assim como as ações, é possível comprar e vender um ETF a qualquer momento, desde a abertura até o fechamento do mercado.

FGC: Fundo garantidor de crédito, instituição que protege seu dinheiro em alguns investimentos como CDBs, Letras de Câmbio, LCIs, LCAs, entre outras aplicações possíveis em bancos.

Fundos de Investimento: Os fundos de investimento são uma opção para diversificar sua carteira e funciona como um condomínio, em que cada um é “dono” de uma parte do fundo. Os fundos podem ser: de ações, de investimento no exterior, multimercado, cambial, inflação, crédito privado e referenciado DI. Veja os 10 passos para entender Fundos de Investimento.

Fundos DI: Uma categoria de Fundos de Investimentos que são os mais conservadores do mercado. Estes fundos aplicam em ativos atrelados ao CDI, e devem manter alocação relevante em títulos públicos e/ou títulos privados de baixo risco.

Fundos Imobiliários: Os fundos imobiliários são formados por investidores que aplicam seus recursos em ativos relacionados ao mercado imobiliário, sejam eles shoppings, agências bancárias, hospitais, hotéis, lajes corporativas, dentre outros ativos. Veja os 10 passos para entender Fundos Imobiliários e assista nosso vídeo que explica melhor em 1:30min: O que são Fundos Imobiliários?

Home Broker: Plataforma digital, na maioria das vezes de uma corretora, onde se compra e vende produtos do mercado financeiro, como ações, produtos de renda fixa, fundos, etc.

Imposto de renda ou IRPF: Imposto de Renda sobre Pessoa Física é o valor que o governo federal desconta anualmente do rendimento de cada cidadão. É possível pagar menos imposto com a Previdência Privada, por exemplo, e ainda existem investimentos que são isentos de IR.

Indexador: Índice usado como referência para estabelecer a rentabilidade de algum investimento.

Índice Bovespa (Ibovespa) é o um índice composto pelos principais ativos de maior negociabilidade e representatividade do mercado de ações brasileiro.

IPCA: Índice de preço ao consumidor amplo, Índice de Preços ao Consumidor Amplo, é um índice que mede o aumento dos preços do país, também conhecido como o índice oficial que mede a inflação.

LC: As Letras de Câmbio são instrumentos de captação das Financeiras. Pelo dinheiro aplicado, a emissora te paga juros que variam de acordo com o tempo e com a quantia aplicada.

LCA: A LCA, letra de crédito agrícola, é um titulo bancário garantido por empréstimos concedidos ao setor de agronegócio. Quem investe em LCA está comprando um produto que financia e é remunerado por financiamentos e empréstimos dentro deste setor. Investimentos em LCA são garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

LCI: A LCI, letra de crédito imobiliário, é um titulo bancário garantido por empréstimos concedidos ao setor imobiliário. Quem investe em LCI está comprando um produto que financia e é remunerado por financiamentos e empréstimos dentro deste setor. Investimentos em LCI são garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Liquidez: Período no qual você deve aguardar para resgatar seu investimento. Em alguns casos o investidor precisa esperar alguns anos, em outros alguns dias, ex: (d+1 = 1 dia / d+30 = 30 dias, etc..).

Long & short: É uma estratégia que envolve, simultaneamente, uma compra (Long) e uma venda (Short). Esta operação busca a performance relativa entre ambos (posição comprada e vendida). Ou seja, a compra deve se valorizar mais do que a venda.

Lucro: É a medida de resultado de uma empresa.

Multimercardo Long shortUma categoria de Fundos de Investimentos que realizam operações de forma a capturar distorções entre os preços de diferentes ações, montando posições de valor relativo. Atuam principalmente no mercado de renda variável, mas sem a necessidade de manter posição direcional.

Multimercado Macro: Uma categoria de Fundos de Investimentos que realizam suas operações com base no cenário econômico traçado pelo gestor. Possuem flexibilidade para atuar em diversos segmentos, em especial nos mercados de juros, câmbio e renda variável. Buscam obter rentabilidade acima do CDI.

Oferta Pública: Oferta pública é a distribuição de ações de uma empresa, cotas de fundos de investimento e outros valores mobiliários para o mercado.

Operações Estruturadas: São produtos financeiros cujo rendimento e risco são resultantes da combinação e características dos componentes envolvidos na estrutura.

OpçõesOpções são contratos entre compradores e vendedores onde eles possuem o direito de comprar e vender determinado ativo (ações, títulos, etc..) em uma data futura. É importante ressaltar que o titular possui o direito de compra e venda, e não a obrigação. Normalmente o capital investido inicialmente para comprar uma opção é relativamente pequeno, pois em uma transação o comprador paga uma determinada quantia para “reservar” a compra de determinado ativo que se realizará na data e valor combinados previamente por ambas as partes.

Ota: Significa “Ordem de Transferência de Ações” e é um formulário para quando deseja mudar suas ações de instituição.

Patrimônio Líquido: Representa o dinheiro dos acionistas na empresa. Idealmente deve crescer ao longo do tempo, conforme a empresa for gerando lucro.

PGBL: Plano de Previdência Privada que oferece vantagens fiscais na declaração de Imposto de Renda, para pessoas que utilizam o formulário completo. O valor aplicado em um PGBL é deduzido da base de cálculo do IR, até o limite de 12% da renda bruta anual tributável. Assim, é possível diferir e reduzir o valor do IR a ser pago ou aumentar a restituição. Nesta modalidade, o Imposto de Renda incide tanto sobre o principal, quanto sobre o rendimento.

Pré-Fixado: Taxa pré-estabelecida pela instituição na qual o investidor está investindo seu dinheiro. Esta taxa não muda em relação a oscilação dos indexadores e o investidor já sabe o valor final que receberá na data de resgate do seu investimento.

Previdência: A Previdência Privada é uma modalidade de investimento muito utilizada quando pensamos em aposentadoria e sucessão patrimonial. Além de incentivar você a poupar, os planos de Previdência oferecem diversas vantagens fiscais e sucessórias no longo prazo.

Pós Fixado: A rentabilidade depende de um indexador e varia em relação a oscilação dele.

Put: é uma opção de venda, em que o investidor tem o direito de vender seu ativo pelo preço estabelecido no contrato.

Receita: É as “vendas” da companhia.

Renda Fixa: Investir em Renda Fixa significa emprestar dinheiro ao emissor do papel, seja ele um banco, uma empresa ou o Governo. A remuneração é feita por meio de juros prefixados, quando você conhece o retorno total no momento da aplicação ou pós-fixados, que são vinculados a algum índice (como Inflação e CDI) e cujo retorno final será conhecido apenas no final da aplicação. Alguns produtos de renda fixa são: COE, CDB, CRA, CRI, Debêntures, LC, LCI, LCA, Tesouro Direto e Títulos Públicos.

ROE – Retorno sobre Patrimônio: Este índice mede o retorno do acionista. Deve ser maior que o retorno de investimentos de ativos com baixo risco (por exemplo, CDBs e Títulos Públicos).

SelicA Taxa Selic é o cálculo da média dos rendimentos pagos pelos Títulos do Tesouro. Como estes investimentos são considerados os menos arriscados do Brasil, o seu rendimento impacta toda a economia. O rendimento da Taxa Selic é orientado por uma meta que é definida pelo Banco Central através do COPOM (Comitê de Política Monetária), e quem controla os valores negociados para cumprir esta meta é o Tesouro Nacional.  Você pode acompanhar o rendimento da Taxa Selic no site do Banco Central

Swing Trade: O Swing Trade é uma operação de prazo curto, que consiste na compra e na venda de uma ação em dias diferentes. A operação pode durar dois dias, uma semana ou um tempo maior.

Termo de ações: O Termo é uma compra a prazo com juros. O cliente se compromete a comprar ou vender certa mercadoria ou ativo financeiro, por um preço e juros já determinado na data de realização do negócio. A data de liquidação também já é determinada no ato da compra.

Tesouro Direto: É um programa do Tesouro Nacional para a compra e venda de títulos públicos federais, restrito apenas para pessoas físicas. O governo emite esses títulos para financiar suas atividades e paga uma remuneração aos investidores que os adquirem. São diversos prazos de vencimento, tipos de rentabilidade e fluxos de remuneração, que permitem ao investidor identificar os títulos mais adequados ao seu perfil. Uma grande vantagem do Tesouro Direto é a liquidez, pois, caso necessite, existem opções onde o cliente pode resgatar seu investimento no dia seguinte.

Títulos Públicos: Os títulos públicos são ativos de renda fixa emitidos pelo Tesouro Nacional para financiar suas atividades e paga uma remuneração aos investidores que os adquirem. Uma grande vantagem deste produto é a liquidez, pois, caso necessite, o cliente pode resgatar seu investimento imediatamente ou no dia seguinte. Além disso, títulos públicos possuem um risco muito baixo pelo fato do investidor estar emprestando dinheiro para o governo. Outra característica é que é um mercado com mais opções, pois seus investidores tem à disposição toda a gama de ativos emitidos pelo governo federal com a possibilidade de encontrar taxas mais atrativas. Os títulos públicos, diferentemente do tesouro direto, não possuem a taxa da CBLC, companhia brasileira de liquidação e custódia, de 0,30% ao ano.

VGBL: Plano de Previdência Privada que é indicado para investidores que tenham como objetivo acumular poupança no longo prazo, usufruindo de todas as vantagens fiscais e sucessórias que a previdência privada oferece. Nesta modalidade, o Imposto de Rendimento é todo retido na fonte, e incide apenas sobre o ganho de capital (rentabilidade). Por outro lado, as contribuições não são passíveis de dedução da base de cálculo do IR.

Volatilidade: é mensuração do risco de algum investimento baseado na oscilação da sua rentabilidade histórica.

Bitnami