ABRA A SUA CONTA

O que são ações?

Ações são títulos que representam uma pequena parcela de participação na sociedade de uma empresa.

Assim, ao comprar uma ação, o investidor se torna sócio dessa empresa, participa da distribuição de lucros e de sua valorização. Uma das maiores vantagens desse mercado é que existem várias formas e nenhuma quantia mínima para investir.

Nos EUA e países desenvolvidos, é comum os pais investirem em ações no nascimento dos filhos para garantir o pagamento de sua graduação.

É importante lembrar que, ações deve ser apenas um pedaço do seu portfólio completo de investimentos, a parte que terá um foco de desenvolvimento a longo prazo.

Como investir em ações com a Guide?

  • Abra sua conta conosco e faça uma transferência de recursos para começar a operar.

  • Acompanhe as recomendações da nossa área de análise para tomar as melhores decisões de compra e venda.

  • Opere via Home Broker, aonde quer que você esteja, e usufrua dos benefícios de ser nosso cliente, incluindo a isenção da taxa de custódia de Renda Variável.

  • Valor

    Mensalmente, as instituições enviam cinco papéis para a Carteira Valor, com peso de 20% cada.

    Confira
  • Top Picks

    Carteira composta por 10 ações de empresas que tem como objetivo superar o desempenho do Ibovespa.

    Confira
  • Small Caps

    Carteira composta por 10 ações de empresas de menor capitalização, com objetivo de superar o SMLL.

    Confira
  • Dividendos

    Carteira composta por ações de empresas pagadoras de dividendos, que tem como objetivo superar o IDIV.

    Confira
  • Fundos Imobiliários

    Carteira composta por fundos imobiliários , com o objetivo de superar o IFIX.

    Confira

Conheça os tipos de investimentos
em Renda Variável

Termo

O Termo é uma compra a prazo com juros. O cliente se compromete a comprar ou vender certa mercadoria ou ativo financeiro, por um preço e juros já determinado na data de realização do negócio. A data de liquidação também já é determinada no ato da compra.

A facilidade desta transação é que não existem ajustes diários como, por exemplo, os contratos futuros.

Ver mais

Opções

Opções são contratos entre compradores e vendedores onde eles possuem o direito de comprar e vender determinado ativo (ações, títulos, etc..) em uma data futura. É importante ressaltar que o titular possui o direito de compra e venda, e não a obrigação.

Normalmente o capital investido inicialmente para comprar uma opção é relativamente pequeno, pois em uma transação o comprador paga uma determinada quantia para “reservar” a compra de determinado ativo que se realizará na data e valor combinados previamente por ambas as partes.

Ver mais

Empréstimo de Ativos – BTC

Empréstimo de ativos, BTC, equivale a emprestar um ativo (cliente doador) para outro investidor (cliente tomador), que tem a intenção de utilizar estes ativos para realizar operações vendidas. O empréstimo consiste em contratos registrados voluntariamente pelas partes envolvidas a uma taxa prefixada na data da operação, que é paga pelo investidor tomador, em um determinado vencimento.

No dia seguinte (D+1) do vencimento deste contrato, o investidor (cliente tomador) paga a taxa que foi acordada, acrescido dos tributos cobrados pela BM&FBovespa. É importante ressaltar que nessa operação não há custo para o cliente doador dos ativos.

Ver mais

Clubes de Investimento

Os Clubes são veículos de investimento coletivo com no mínimo 3 e no máximo 50 participantes, para aplicação preponderante (67%) em títulos e valores mobiliários que podem ser ações ou derivativos. Assim como nos fundos, patrimônio é dividido em cotas, portanto seus investidores, ao aplicar dinheiro, se tornam cotistas.

O retorno de um clube depende da valorização dos ativos que compõe sua carteira. É importante ressaltar que estes ativos podem tanto valorizar como desvalorizar, pois eles dependem das oscilações do mercado.

Ver mais

Oferta Pública

Oferta pública é a distribuição de ações de uma empresa, cotas de fundos de investimento e outros valores mobiliários para o mercado.

Ações

A oferta pública de ações é interessante para a empresa, que se capitaliza para financiar sua expansão, e bom para o investidor, que tem a oportunidade de se tornar dono de uma parcela de grandes empresas do país. Existem dois tipos de ofertas públicas de ações: IPO (abertura de capital) que é a emissão das ações da companhia pela primeira vez no mercado e FOLLOW ON, empresas com capital aberto,  que desejam fazer uma nova emissão de ações para captar recursos.

Estas ofertas também podem ser primárias ou secundárias: na primária, o destino dos recursos levantados na oferta será o caixa da empresa, principalmente para financiar projetos e/ou aquisições. Já a secundária, consiste na venda de ações dos atuais acionistas da companhia para um novo investidor.

Renda Fixa e FII

Existem também ofertas públicas de produtos de renda fixa, como por exemplo debêntures, e ofertas públicas de fundos de investimentos, como por exemplo os fundos imobiliários.

Para saber quais são as ofertas públicas em andamento, clique aqui.

Ver mais

ETF’s

O ETF ou Exchange Traded Fund é um fundo de investimento que é negociado em bolsa como uma ação. Mais conhecidos no Brasil como fundos de índices, buscam retornos de investimento que correspondam, de forma geral, ao desempenho de um determinado índice de referência.

Como um fundo, ao comprar uma cota, o investidor está adquirindo uma parcela de ações de um determinado índice, permitindo acesso a mercados mais amplos, sem a necessidade e o custo de comprar cada ativo individualmente. Assim, se tornam atrativos pela variedade e baixo custo. Assim como as ações, é possível comprar e vender um ETF a qualquer momento, desde a abertura até o fechamento do mercado.

Ver mais

BDR’s

BDRs ou Brazilian Depositary Receipts, são títulos ou ações emitidos no Brasil com lastro em valores mobiliários emitidos no Exterior, divididos em dois tipos: Patrocinados e Não Patrocinados.

O BDR patrocinado é emitido por uma instituição depositária contratada pela companhia estrangeira emissora dos valores mobiliários e pode ser classificado como Nível I, Nível II ou Nível III.

Já o BDR não patrocinado, ou BDR NP, é emitido por uma instituição depositária, sem envolvimento da companhia estrangeira emissora dos valores mobiliários lastro, e só pode ser classificado como Nível I.

Ver mais

Swing Trade

O Swing Trade é uma operação de prazo curto, que consiste na compra e na venda de uma ação em dias diferentes. A operação pode durar dois dias, uma semana ou um tempo maior.

Ver mais

Day Trade

O Day Trade é uma operação de curto prazo que consiste na compra e venda de uma ação no mesmo dia e tem como objetivo obter lucro ao longo do dia de uma forma rápida e dinâmica.

Ver mais

Operações Estruturadas

Operações estruturadas são produtos financeiros cujo rendimento e risco são resultantes da combinação e características dos componentes envolvidos na estrutura.

Quando o investidor pode usar?

Pode ser usado a qualquer momento em todas as condições de mercado. A flexibilidade e customização das estruturas permitem diversas soluções e finalidades como:

Proteção e defesa da carteira

Alavancagem financeira

Remuneração de carteira

Operações de capital protegido

Para quem são indicado os produtos estruturados?

Nossa política de suitability diz que os produtos estruturados são considerados complexos e por isso são destinados exclusivamente a investidores com perfil arrojado e agressivo. Muitas estruturas têm o um risco limitado e até possuem proteção total do investimento. Existem casos onde as estruturas têm perdas ilimitadas. Antes de entrar em alguma operação estruturada certifique-se sobre a perda máxima.

Ver mais

Long & Short

É uma estratégia que envolve, simultaneamente, uma compra (Long) e uma venda (Short). Esta operação busca a performance relativa entre ambos (posição comprada e vendida). Ou seja, a compra deve se valorizar mais do que a venda.

Nesta operação, o investidor não fica tão exposto ao risco do mercado (Risco Sistêmico), sendo afetado pelo risco específico dos ativos envolvidos na operação. Em suma: a direção do mercado (IBOV) tem importância secundária, a performance relativa do par passa a ser o foco da análise.

Tipos de Long & Short

Intra-Setorial: Operação entre empresas do mesmo setor (Ex: Monta-se posição comprada e vendida dentro do setor de Energia). Por serem ativos do mesmo setor, a distorção nos preços tende a não ser tão grande, consequentemente, um menor prêmio e risco é esperado.

Ações Preferênciais x Ações Ordinárias: Operação entre ações da mesma empresa (Ex: Long em VALE5 e Short em VALE3). Dentre todos os tipos, este é o Long & Short mais conservador.

Inter-Setorial: Operação entre ações de diferentes setores. Dado que os ativos podem ser impactados por diferentes variáveis, espera -se uma maior distorção de preços. Logo, com maior risco, temos maior retorno .

Etapas

1 – Entender a operação e seus riscos

O Long & Short é uma operação que envolve riscos. É recomendada para clientes sofisticados. Deve -se definir o valor financeiro a ser exposto na estratégia.

2 – Venda a descoberto

É necessário tomar um ativo emprestado e vendê-lo no mercado. Mais tarde espera-se recomprá-lo a um preço inferior ao da venda. O investidor que vendeu a descoberto está na linguagem de mercado short . A Guide intermedia o empréstimo do ativo a ser vendido, este requerimento deve ser feito ao seu assessor de investimentos.

2.1 – Compra

Com o financeiro obtido da venda consegue-se comprar o ativo sugerido para estruturar a operação de Long & Short.

3 -Operacional

A venda a descoberto exigirá uma margem de garantia. Entretanto podemos utilizar a compra (item 2.2) para reduzir este valor, tendo de desembolsar somente a margem necessária da operação (Margem -Garantia = Margem Necessária).

4-Saída

Deve-se recomprar a ponta vendida (short) e vender a ponta comprada (long).

Parâmetros Utilizados

Beta: Mede a relação estatística entre duas variáveis, estando relacionado com a velocidade de seus retornos. De forma que se um ativo X tem um Beta de 2 em relação a um ativo Y, caso haja uma variação de 5% do ativo Y o ativo X tende a variar 10%.

Correlação

Indica a força da interação linear de duas variáveis aleatórias ao longo do tempo. O índice de correlação varia no intervalo [-1,1]. Se dois ativos tem uma forte correlação, acreditamos que diferenças em seus níveis de preço são momentâneas e tenderão a retornar a média histórica.

Fator (ratio)

O preço do ativo long dividido pelo preço do ativo short. Utilizado para análise do par.

Atenção: Este relatório é baseado em análises estatísticas, não tendo relação com as nossas perspectivas macroeconômicas.

Perfil do LONG & SHORT

Perfil Agressivo – São pares que apresentam alta volatilidade histórica e podem apresentar variações percentuais muito elevadas, superando em certos casos 10% em um dia.

Perfil Moderado – São pares que apresentam volatilidade histórica considerada normal e que podem ter variações percentuais até 5% no dia.

Perfil Conservador – São pares que apresentam baixa volatilidade histórica e tendem a apresentar variações inferiores a 2,5% no dia.

Atenção: As variações aqui citadas têm por base dados históricos e podem mudar de acordo com o mercado, fazendo com que os pares se comportem de forma diferente da classificada.

Ver mais

Comece a investir em ações agora!

Abra sua conta
Bitnami