DEBÊNTURES

Muitas pessoas gostariam de estar atreladas às empresas que admiram, mas ao mesmo tempo têm receio de entrar no mercado de ações pelas oscilações que o caracterizam. A boa notícia é que existe uma alternativa.

Assim como o governo emite títulos públicos para financiar suas dívidas, algumas empresas emitem debêntures, como uma maneira de captar recursos para financiamentos e investimentos em expansão, máquinas, entre outras atividades.

Portanto, quando você compra uma debênture, está comprando um título de renda fixa de uma companhia privada, o que significa dizer que você está emprestando dinheiro à ela e se tornando um credor. E esse é um dos principais atrativos dessa aplicação, já que você pode ter o título de uma empresa sólida, com poucas chances de quebrar e rentabilidade melhor do que a de um título público.

Para investir em debêntures, é importante estar atento aos seguintes quesitos:

Solidez da empresa: Emprestar dinheiro para companhias com boas perspectivas é uma forma de ter um investimento mais seguro. Vale sempre observar os ratings (classificação de risco de crédito, realizada por agências especializadas) das empresas, que ajudam a avaliar sua solidez. Além disso, é bom ficar atento se a empresa coloca à disposição algum tipo de garantia vinculada à dívida, para aumentar ainda mais a segurança do investimento.

Prazo da Debênture: Vencimentos mais longos tendem a pagar maiores taxas de juros, porém também amarram seu dinheiro por mais tempo. De qualquer forma, várias dessas debêntures contam com os “Formadores de Mercado”, agentes que aumentam a liquidez desses ativos, ou seja, que lhe permitem resgatar antes do vencimento, sob preços praticados no mercado.

Isenção Fiscal: Atualmente as debêntures de infraestrutura (vulgo incentivadas) contam com isenção de imposto de renda para pessoa física e investidores estrangeiros. Isso permite um acréscimo de rentabilidade final, graças à sua eficiência tributária. Essas isenções tornam boa parte das debêntures atreladas à inflação mais atrativas em relação aos títulos do governo também atrelados à inflação.

TRIBUTAÇÃO

As debêntures Incentivadas contam com Isenção de IR para investidor pessoa física.

Já o investidor de debêntures não incentivadas deverá pagar imposto de renda sobre seus rendimentos O percentual desta cobrança irá variar conforme os seguintes prazos:

Bitnami